Internet - São Camilo
  • Marcação de Consulta e Exames: (11) 3172-6800
Hospital São Camilo
  •  
  • >
  • Sua Saúde Agradece
Blog São Camilo

Últimas Postagens

Você sofre de Ansiedade

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Dicas de Saúde

Nervosismo, irritabilidade, dificuldade de concentração, preocupação exagerada, medo constante, sensação de que algo ruim vai acontecer e descontrole sobre os próprios pensamentos. Estes são alguns sintomas causados pela Ansiedade, que num grau mais elevado pode se tornar uma doença e até mesmo desenvolver fobias e transtornos psicológicos.

Segundo Luciana Jamas dos Santos, psicóloga na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Unidade Santana, a Ansiedade é uma emoção inerente ao ser humano, que vem associada a momentos de incerteza, insegurança e situações de risco. "A Ansiedade é um mecanismo de defesa do organismo, que desempenha uma função importante na nossa vida e faz com que a pessoa busque acertar e se empenhar para fazer o melhor. A ansiedade torna-se uma doença quando seus níveis aumentam e as sensações de incerteza e insegurança ficam desproporcionais a realidade, chegando ao ponto de prejudicar a execução das atividades do dia a dia", alerta a psicóloga.

Inclusive alguns transtornos psicológicos como o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), a Síndrome do Pânico e o Transtorno de Estresse Pós Traumático e algumas fobias, são doenças que estão associadas à Ansiedade. "Fisicamente a ansiedade se manifesta com tremores, sudorese, aumento dos batimentos cardíacos, tontura, falta de ar, dores no peito e na cabeça e tensão muscular. Para aliviar estes sintomas físicos, recomenda-se técnicas de relaxamento, atividade física, yoga e massagem que podem auxiliar no controle da ansiedade."

A Ansiedade atualmente pode estar relacionada com diversos fatores, como por exemplo, jornadas longas de trabalho associadas a períodos intensos de estresse e pressão, após eventos traumáticos e estressantes ou após ou durante processos de adoecimento. Tanto os fatores externos quanto hormonais, deixam as mulheres mais suscetíveis à Ansiedade. "As mulheres podem estar mais suscetíveis à ansiedade, devido à maiores oscilações de níveis hormonais no organismo e também ao fato das mulheres executarem múltiplas tarefas, muitas vezes sendo exigidas de forma intensa no ambiente profissional e também pessoal", completa Luciana.

Vale alertar ainda que a Ansiedade e a Depressão são problemas diferentes, mesmo sendo comum que em quadros depressivos, a pessoa apresente sintomas de ansiedade associados. "Enquanto a ansiedade é uma emoção inerente ao ser humano, a depressão é um adoecimento em que estão presentes sintomas de tristeza, falta de esperança, desespero e desânimo. Ao notar os sintomas mais intensos da Ansiedade é necessário procurar acompanhamento médico e psicológico para auxílio no controle dos sintomas. Além disso, somente um médico poderá recomendar tratamentos com psicofármacos e medicamentos ansiolíticos", conclui a psicóloga.​

Pressão alta: um problema silencioso

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Dicas de Saúde

​​Você sabia que a hipertensão arterial ou a pressão alta (maior ou igual a 140 e/ou 90 mmHg) pode ser o gatilho para sérios problemas de saúde como ​o acidente vascular encefálico (derrame) e o infarto do miocárdio? Por não provocar sintomas e ser silenciosa, a hipertensão muitas vezes só é diagnosticada tardiamente. Mas segundo dr. Luiz Guilherme Velloso,  cardiologista na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, é possível controlar este problema logo após o diagnóstico com alimentação correta e, se necessário, uso de medicamentos.

"Via de regra, a pressão alta não costuma ter sintomas, no entanto, seus efeitos prejudiciais à saúde vão se instalando de forma lenta e progressiva. Por exemplo, os vasos vão sofrendo alterações degenerativas, até que a doença se manifeste por meio de um derrame ou infarto. Por este motivo, a hipertensão é chamada de assassina silenciosa", alerta o cardiologista.

Por não provocar sintomas e ser mais comum em pessoas com histórico familiar, a hipertensão deve ser pesquisada em todas as pessoas, por medições periódicas. Dr. Velloso reforça que o fato ilusório de não provocar sintomas durante muitos anos não quer dizer que a pressão alta não deva ser tratada quando é diagnosticada. "Tratar a hipertensão arterial, mesmo em indivíduos completamente sem sintomas, reduz dramaticamente a incidência e gravidade de suas principais complicações", afirma.

Segundo o médico, o tratamento da hipertensão deve sempre ser iniciado de forma não medicamentosa, priorizando mudanças na alimentação e nos hábitos de vida como diminuir o consumo de sal, consumir mais fibras, vegetais e legumes, reduzir peso, fazer exercícios regulares, diminuir os fatores de estresse, abandonar o cigarro e o consumo excessivo de álcool.

"Quando estas medidas não são suficientes para devolver a pressão arterial aos níveis normais, é necessário iniciar a terapêutica com medicamentos. Lembrando que a escolha do medicamento ou medicamentos para tratar a pressão arterial deve ser individualizada pelo médico, que leva em consideração fatores como a idade, etnia, e eventuais condições clínicas associadas", recomenda o cardiologista.

Seis dicas para controlar a pressão alta

​​- Medir periodicamente a pressão arterial, especialmente os descendentes de hipertensos ou cardiopatas, obesos, fumantes, estressados e sedentários em geral.

- Diminuir o consumo de sal. O sal tem forte correlação com os níveis de pressão arterial. Tanto que, no indivíduo hipertenso, muitas vezes a diminuição deste consumo é o bastante para que sua pressão arterial volte a níveis adequados.

- Fazer exercícios físicos.

- Diminuir os fatores de estresse.

- Abandonar o cigarro.

  1. - Evitar o consumo excessivo de álcool.

Dormir bem faz bem

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Dicas de Saúde

​​​​​​​​Já parou para pensar o quanto o sono pode tornar sua vida mais saudável? Uma boa noite de sono é capaz de renovar o ânimo e devolver a disposição para um novo dia. Assim como uma noite mal dormida pode causar alguns problemas de saúde. Falta de concentração, dificuldade em memorizar e aprender novos conceitos, além de irritabilidade, são apenas algumas das consequências da privação do sono.

Dr. Sandro Luiz de Andrade Matas, neurologista na Rede de Hospitais São Camilo, explica como a falta de sono pode resultar em problemas neurológicos. "As principais consequências neurológicas da falta de sono são problemas de memória e a piora ou aparecimento de dor de cabeça. Existem trabalhos que mostram a associação direta de distúrbios respiratórios no sono com o aumento da incidência de acidentes vasculares cerebrais e cardíacos, como insuficiência cardíaca e infarto agudo do miocárdio. Por isso, pessoas que se sentem cansadas, indispostas ao acordar e apresentam sonolência diurna ou roncos durante o sono, devem procurar um médico", alerta o especialista.

Ter um sono de boa qualidade, aquele sono reparador no qual a pessoa acorda disposta e permanece dessa forma ao longo do dia, é fundamental para uma vida saudável. Para a dra Renata Pachota, neurologista na Rede de Hospitais São Camilo e coordenadora do Ambulatório de Sono - Unidade Pompeia, dormir bem só traz benefícios. "Em curto prazo, dormir bem nos mantém dispostos, alertas, concentrados nas atividades, com boa memória e de bom humor. Em longo prazo, os benefícios são vistos na prevenção de doenças como hipertensão, diabetes, obesidade e câncer", comenta.

Mas vale lembrar que não existe uma regra quando o assunto é a média de sono ideal. O tempo ideal de sono depende da idade e do ritmo biológico de cada indivíduo, não havendo um único tempo para todas as pessoas. Entretanto, menos de 5 horas pode ser prejudicial. "Por exemplo, muitas pessoas queixam-se de acordar cansadas, mesmo tendo dormido de 6 a 8 horas. Isso pode acontecer por dois motivos: ou porque a pessoa necessita de mais de 8 horas de sono para ter um sono reparador (algumas pessoas necessitam de até 12 horas de sono diários) ou porque tem alguma doença que atrapalha o sono como, por exemplo, a apneia obstrutiva do sono", explica o neurologista dr. Matas.

Já o cochilo após o almoço ou a siesta, cultural em alguns países, é recomendado pelos médicos, mas não deve ultrapassar os 30 minutos. Dr. Matas pontua que "em termos práticos, a pessoa fica mais alerta e focada em seu trabalho. Algumas empresas estimulam esta prática, pois observaram aumento do rendimento dos seus funcionários. Um dos motivos de não ultrapassar o tempo de 30 minutos é a possibilidade de interferir no sono noturno, atrasando o seu início".

É importante ainda afastar os vilões do sono na hora de ir para a cama. Os neurologistas explicam que o ambiente é o principal deles. O ambiente de sono deve ser higiênico, isto é, escuro e sem barulho para que não haja interferência externa no sono. Fazer uma refeição muito "pesada" ou ir pra cama com fome ou ficar deitado esperando o sono chegar são hábitos que também atrapalham o sono.


Passo a passo para uma noite bem dormida

Siga os passos da higiene do sono e tenha uma noite reparadora.

​​​Mantenha um ambiente silencioso, sem aparelhos eletrônicos ligados.

- Procure manter o ambiente sem luz ou a menor intensidade de luz possível.

- Durma em local adequado e próprio para o sono, ou seja, na cama, dentro do quarto de dormir.

-  Evite refeições "pesadas".

-  Não durma com fome.

-  Evite o consumo de café, chá mate, cigarro ou bebidas alcoólicas antes de dormir.​​

Ser saudável só depende de você

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Dicas de Saúde


Pequenos cuidados diários e exames preventivos anuais são a chave para a longevidade 

 

chegada do Ano Novo sempre traz consigo algumas promessas, entre elas a de cuidar melhor da saúde.

Hojemais do que uma vida longínqua, as pessoas almejam viver bem.

E nada se encaixa melhor nesse sentido do que o velho jargão “prevenir é melhor do que remediar”. 


Basta ver que inúmeras doenças se diagnosticadas no início por meio de um check-up de rotina têm um 

prognóstico favorável e podem ser tratadas como doenças crônicas. Toda pessoa acima de 40 anos,

independentemente de estar saudáveldeve realizar um check-up anual que incluaalém de exames de sangue –

para verificar, entre outras, as dosagens de colesteroltriglicéridesglicemia e vitaminas –, 

eletrocardiograma, teste ergométrico e ultrassom de abdômen total. 

 

Para as mulheres é fundamental ainda fazer os exames ginecológicoscomo Papanicolauultrassonografias 

pélvica e de mamas, mamografia e densitometria óssea; para os homens, o exame sanguíneo deve incluir 

o PSA (antígeno prostático específico) e, se houver alteração no resultadorealizar o exame de toque retal

(essencial a partir dos 50 anos).  

 

“É importante ressaltar que pessoas com doenças crônicascomo diabetes, problemas cardíacos

 ou que tenham histórico familiar de doenças importantes como câncer de mama ou de próstata

devem realizar exames periódicos antes dos 40 anospodendo começar na própria juventude”, 

lembra o médico da área de infectologia no Hospital São Camilo, Ivan Silva Marinho 

 

Cuidados de verão  

 

Doutor Ivan destaca ainda que pequenos cuidados com a saúde também são importantes para uma vida plena

 e saudável. “Principalmente no verão, é muito importante estar atento a determinadas situações que podem 

trazer riscos à saúde. Um exemplo bastante comum nos nossos Centros Médicos são pessoas que chegam

 com queimaduras de sol por contato com frutas cítricas. O problema pode ser perfeitamente evitado lavando-se 

as mãos imediatamente após o manuseio da fruta ou evitando-se esta ação ao sol.”  

 

Outra situação corriqueira apontada pelo médico nesta época do ano é entrar água nos canais do ouvido durante 

mergulhos em mar ou piscina. “A água que entrou precisa sair para não resultar em uma otite. Para issouma

 dica simples é inclinar a cabeça e dar alguns pulinhos. Se ainda assim o desconforto persistirdeve-se procurar atendimento médico”, destaca o doutor Ivan. Ele também recomenda muita atenção com alimentos 

consumidos em praias ou que ficam muito tempo expostos ao sol, a fim de evitar as famigeradas intoxicações alimentares. “É importante sempre saber a origem do produtoalém de buscar uma alimentação mais leve e manter-se o tempo todo hidratado”, finaliza o médico. ​​

Saiba como manter a motivação e não desistir das metas e desafios propostos para 2017

Uma revista de psicologia norte-americana recentemente publicou um estudo apontando que somente 8% das pessoas conseguem cumprir suas resoluções de Ano Novo. Geralmente, até o final de janeiro, cerca de um terço das novas metas – que muitas vezes incluem mudanças no estilo de vida e mais cuidados com a saúde – já terão sido descartadas.

Rita Calegari, psicóloga da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, explica que fazer planos e não conseguir cumprir pode gerar um efeito desmotivador nas pessoas, uma vez que a reincidência do fracasso tende a fragilizar a autoconfiança do indivíduo. "Novas metas podem ser muito positivas para nosso desenvolvimento. No entanto, eles devem ser realistas e alcançáveis. Do contrário, estaremos criando uma armadilha pessoal que terá o efeito contrário."

Como é possível, então, administrar e manter essa motivação viva e funcional ao longo do ano? Rita sugere, além da criação de metas centradas e realizáveis, o planejamento da estratégia e dos recursos disponíveis. "Desta forma, as resoluções podem durar um ano ou a vida inteira – e não somente os primeiros dias de janeiro. É preciso ter consciência, também, de que motivação é um fator intrínseco – cabe ao indivíduo desenvolver e manter. Há pessoas que desistem na menor dificuldade, mesmo estando cercada de recursos, enquanto
outras, apesar das barreiras, se esforçam até conseguirem se realizar."

Saúde como meta

Neste início de ano, além das novas metas e expectativas, é importante dar atenção aos cuidados com a saúde. A realização periódica de exames preventivos e o acompanhamento médico são ferramentas importantes na detecção e tratamento de doenças, de forma segura e precoce. “O check-up médico é realizado com o objetivo de garantir que está tudo em ordem com a saúde e diagnosticar, caso necessário, alguma condição que ainda não tenha se manifestado por meio de sintomas”, explica Ivan Marinho, infectologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

A necessidade de realizar exames e procedimentos depende muito do histórico familiar e do estado de saúde do paciente. “É recomendável procurar inicialmente um clínico geral ou cardiologista. Homens, a partir de certa idade, devem agendar consultas também com um urologista e mulheres com um ginecologista”, complementa o médico. Geralmente, a recomendação é realizar os principais exames de acordo com a sua faixa etária anualmente a partir dos 40 anos, tanto para o público feminino, quanto masculino. “É importante reforçar que as ações do check-up têm como objetivo prevenir e orientar caso alterações sejam encontradas.” 

Por esse motivo, não existe um limite de idade máxima ou mínima e, quando pacientes mais jovens desejam realizar essas avaliações periódicas, podem fazê-lo a qualquer momento. “As mulheres também devem buscar acompanhamento ginecológico a partir da primeira menstruação”, explica o infectologista. O Centro Médico da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo reúne especialistas em diversas áreas, como Ortopedia, Urologia, Pneumologia, Cardiologia, Ginecologia, Cirurgia Geral, Neurologia e Oncologia. A Instituição está preparada para atender o paciente de forma completa, desde a consulta, até exames de imagem e cirurgias.

Facilidade para agendar

Além dos canais oficiais já disponíveis (presencial e telefone), a partir do final de janeiro, os usuários da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo poderão agendar consultas nos Centros Médicos das três unidades (Santana, Pompeia e Ipiranga) via internet. Por meio do portal da Rede ou da página no Facebook, os pacientes poderão acessar o novo sistema e, de forma autônoma, prática e ágil, agendar os compromissos. Em breve, será possível agendar também exames e outros procedimentos realizados em um dos três hospitais.

Sobre o Serviço de Check-up do Hospital São Camilo

O Check-up é uma avaliação médica de rotina associada a exames específicos, realizados de acordo com idade, sexo e histórico pessoal e familiar. Com o Check-up, também é possível fazer o diagnóstico de doenças já instaladas, mas ainda não manifestadas, como colesterol alto, diabetes, hipertensão, entre outras, cujo tratamento terá impacto positivo na saúde e na qualidade de vida do paciente. As três unidades da Rede São Camilo dispõem do serviço de Check-up, com recursos disponíveis e capacidade para realizar todos os exames complementares. O serviço é composto por cardiologista, ginecologista, mastologista, urologista, cirurgião do aparelho digestivo, proctologista, neurologista, entre outros.

​As férias escolares é o período em que as crianças aproveitam o tempo livre com a família e amigos e é quando elas brincam mais e gastam mais energia. Com isso, ocorre uma pequena quebra na rotina, já que elas dormem e acordam um pouco mais tarde e têm acesso a outros tipos de alimentos, principalmente guloseimas.

Para Marisa Coutinho, Gerente de Nutrição na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, o ideal nesse momento é modificar o mínimo possível da rotina da criança: "Mesmo acordando mais tarde, é importante estabelecer um horário para acordar onde seja possível realizar o café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar".​

A nutricionista recomenda que os pais não deixem de preparar um café da manhã completo, já que essa é a refeição que garante os nutrientes necessários para o período da manhã. Para o almoço, invista em receitas saudáveis e mostre às crianças a importância de uma alimentação saudável. "Se estiver em casa nas férias, leve as crianças para a escolha dos alimentos durante as compras no supermercado, mas fique longe das prateleiras de guloseimas. Apresente a eles as frutas, verduras e legumes e depois os leve até a cozinha para o preparo. Hoje em dia temos vários sites que oferecem receitas saudáveis com preparações atrativas para as crianças", completa Marisa.

Se for viajar, a recomendação é que os pais deem preferência a alimentos leves, como verduras, legumes, grelhados, assados e refogados, evitando sempre frituras e condimentos em excesso. Além disso, é importante ficar atento à procedência dos alimentos e procurar fazer as refeições sempre em locais confiáveis. 

Se a criança tiver alguma restrição alimentar, o ideal é verificar previamente se o hotel onde ela ficará tem estrutura para o preparo de uma alimentação diferenciada. "Hoje em dia, vários hotéis já contam com a presença de um nutricionista que pode oferecer uma condição de preparo melhor desta dieta restrita", recomenda Marisa.

Se as férias da família envolver muito tempo fora de casa e do hotel, os pais podem preparar lanchinhos para levar na bolsa. Alguns lanchinhos são super saudáveis e ainda cabem na bolsa, como é o caso do bolo de fubá, bolo de tapioca, biscoito tipo cookie de aveia, biscoito de polvilho – desde que não contenha gordura vegetal hidrogenada em sua composição –, sanduíches de pão integral com mussarela de búfala, muffin de coco e frutas, inclusive as desidratadas.

Por fim, Marisa afirma que é possível, sim, seguir uma dieta saudável durante as férias: "Os pais devem fugir do conceito de cardápio liberado durante as pausas escolares, pois as crianças devem entender que o hábito saudável não entra em férias. E quanto mais a família fugir da rotina, mais difícil será retornar a ela depois", finaliza.

​​​Novidade torna Instituição a primeira da região a oferecer serviços de TMO
 
A equipe de Transplante de Medula Óssea da Unidade Santana da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo realizou, recentemente, o primeiro transplante da Zona Norte da cidade. A nova área do hospital, inaugurada em outubro de 2016, o tornou o primeiro da região a oferecer o serviço, considerado um dos mais importantes tratamentos de doenças que afetam o sangue.
 
O paciente contemplado pela novidade é portador de mieloma múltiplo – câncer nas células plasmáticas do sangue – e havia passado por quimioterapia antes do procedimento. "Como a resposta apresentada na primeira etapa do tratamento foi muito positiva, optamos pelo transplante de medula óssea, que é indicado nestes casos. O procedimento foi um sucesso", explica Juliana Sobreira, hematologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, à frente do caso.
Os Centros de Transplante de Medula Óssea (TMO) da Rede de Hospitais São Camilo estão localizados nas Unidades Pompeia e Santana, sendo o da Pompeia um dos 29 centros de referência no país autorizados pelo Ministério da Saúde a realizar todos os tipos de transplantes. O espaço realizou seu primeiro procedimento em 1998 e, nos últimos quatro anos, foram cerca de 450 transplantes de medula óssea. Em 2017, a Instituição pretende atingir o 500º.
Primeiro da Zona Norte
 
O novo espaço destinado ao Transplante de Medula Óssea da Unidade Santana da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo oferece atendimento diferenciado aos pacientes em todas as etapas do tratamento. “Na primeira visita, todos os serviços oferecidos são apresentados. Ao iniciar o tratamento, o paciente conta com uma equipe multiprofissional que acolhe a cultura e os valores individuais e atividades especiais adaptadas às suas necessidades e limitações”, explica Sérgio Fortier, hematologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.
 
A área de TMO conta, ainda, com o apoio de um serviço de hemoterapia, certificado pela AABB (American Association of Blood Bank), para o fornecimento de sangue, plaquetas, hemácias, plasma e células-tronco aos pacientes em tratamento quimioterápico e transplantados. Para garantir a segurança da transfusão, a Unidade utiliza uma tecnologia que confere e sincroniza as informações do paciente, teste sanguíneo e a bolsa de sangue que será transfundida.
 
Doação de Medula Óssea
 
Segundo Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) o número de doadores voluntários tem aumentado expressivamente ao longo dos últimos anos. Em 2000, existiam apenas 12 mil inscritos e somente 10% dos doadores de medula óssea eram brasileiros. Atualmente, existem mais de 4 milhões de doadores inscritos. A chance de se identificar um doador compatível, no Brasil, na fase preliminar da busca é de até 88%, e ao final do processo, 64% dos pacientes têm um doador compatível confirmado.
 
Estes números fizeram do banco de dados do país o terceiro maior do mundo, ficando atrás apenas dos registros dos Estados Unidos (quase 7,9 milhões de doadores) e da Alemanha (cerca de 6,2 milhões de doadores).

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: