Internet - São Camilo
  • Marcação de Consulta e Exames: (11) 3172-6800
Hospital São Camilo
  •  
  • >
  • Sua Saúde Agradece
Blog São Camilo

Julho 2018

5 dúvidas sobre cirurgia de prótese de joelho

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Dicas de Saúde

O desgaste do joelho, também conhecido como artrose, consiste na perda da camada de cartilagem que reveste a superfície articular do fêmur, da tíbia e da patela, ossos que em conjunto compõem a articulação do joelho.

Em muitos casos são indicados os tratamentos medicamentosos e fisioterápicos. No entanto, em circunstâncias mais graves, surge a necessidade da Cirurgia de Prótese de Joelho para melhorar a qualidade de vida do paciente.

Escolher por um procedimento cirúrgico como tratamento pode gerar incerteza em alguns pacientes. Por isso, o ortopedista Dr. Leandro Gregorut, atuante na Rede São Camilo de SP, esclarece 5 principais dúvidas sobre a Cirurgia de Prótese de Joelho. Confira a seguir:

 

1 - Quais as principais causas da artrose?

· Artrite reumatoide ou artrites em geral – são inflamações crônicas nas articulações causadas por doença autoimune.

· Sequela de trauma com deformidades – são sequelas adquiridas nos joelhos e proveniente ou não de cirurgias.

· Desgaste idiopático - sem motivo aparente é um desgaste que acontece com o avanço da idade.

· Uso indevido com excesso de impacto – tipo de desgaste proveniente de treinamento inadequado em quantidade ou intensidade.

· Obesidade - alguns trabalhos demonstram que pacientes que estão acima do peso tem uma maior propensão a ter artrose nos joelhos, tanto pelo aumento do desgaste causado pelo impacto mecânico nos joelhos, quanto pela deficiência de uma enzima que protege a cartilagem das articulações e também está associada à obesidade.

2 - Em quais casos é indicada a cirurgia de prótese de joelho?
A prótese de joelho ou autoplastia total do joelho é indicada quando há falha do tratamento conservador, principalmente nos casos em que o desgaste da articulação (artrose) está avançado, causando dor, perda da capacidade de andar ou de realizar as atividades de vida diária.

3 - É uma cirurgia simples? Quais os principais riscos?
É uma cirurgia complexa, mas muito segura. As técnicas atuais de cirurgia, os materiais utilizados (implantes ortopédicos) e as técnicas de anestesia evoluíram muito nos últimos anos, tornando a cirurgia segura e rápida. Os principais riscos desta cirurgia é a Trombose Venosa Profunda – que pode ser evitada com medicação e cuidados no pós-operatório e a infecção tardia – que apresenta uma taxa muito baixa de incidência, normalmente menor que 1% dos casos operados.

4 – Quais os cuidados pós-cirurgia e quanto tempo leva a recuperação?
Após a cirurgia, o paciente passa por um processo de fortalecimento muscular e ganho de movimentos do joelho em conjunto com a fisioterapia. Normalmente a recuperação total leva em torno de 3 a 6 meses. Esse período leva em conta a força muscular do paciente antes do procedimento e sua dedicação na fisioterapia.

5 - É possível praticar esportes normalmente após colocar a prótese no joelho?
Após a cirurgia o paciente poderá fazer caminhadas, exercícios na piscina, exercícios de fortalecimento na academia e andar de bicicleta. Orientamos o paciente a evitar corrida e exercícios que tenham a necessidade de fazer mudança de direção tais como jogar futebol, tênis, basquete, vôlei entre outros.

Por que é importante vacinar seu filho?

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Dicas de Saúde

​"A imunização salva milhões de vidas e é amplamente reconhecida como uma das intervenções globais em saúde de maior sucesso e mais economicamente viável" destaca a Organização Mundial da Saúde. Apesar da ampla divulgação sobre a importância da vacinação, ainda existem mais de 19 milhões de crianças que não são vacinadas ou não tem acesso aos programas completos de vacinação.

No Brasil, o Ministério da Saúde segue a meta estipulada pela OMS de imunizar 95% das crianças. Apesar do Brasil ser reconhecido mundialmente pelo seu programa de vacinação, em 2017 o País não atingiu a meta de imunização do calendário infantil, resultando no índice mais baixo registrado desde 2002. A vacina Tetra Viral, responsável pela imunização do sarampo, caxumba, rubéola e varicela, obteve a cobertura mais baixa, totalizando apenas 70,69%.

Alguns mitos têm influenciado a baixa da vacinação na população infantil brasileira. Por isso, a médica pediatra Dra. Vivian Pereira de Oliveira, atuante na Rede São Camilo de SP, esclarece algumas dúvidas. Confira:

Alguns pais acreditam que o fato do filho ter uma boa alimentação, acesso a saneamento básico e não estar em áreas com maior incidência de certas doenças anula a necessidade da vacinação. Isso é verdade ou um mito? 
Dra. Vivia Oliveira: Todos estes fatores do meio ambiente não são o suficiente para criar anticorpos específicos para determinadas doenças. A boa alimentação, por exemplo, evita a desnutrição e a falta de algumas vitaminas, o que ajuda a ter uma boa imunidade, mas não é o suficiente. Quando se toma uma vacina, o sistema imune é exposto às partículas ou ao agente causador da doença, o que faz com que o organismo crie anticorpos específicos para aquele determinado vírus ou bactéria.

Algumas pessoas acreditam que a vacinação pode causar males em longo prazo. Quais são os riscos da vacinação? 
Dra. Vivia Oliveira: 
Algumas vacinas podem ter efeitos colaterais, mas são efeitos agudos e não em longo prazo. 

Aplicar mais de uma vacina ao mesmo tempo pode invalidar a eficácia de uma delas? 
Dra. Vivia Oliveira: 
Não. O calendário vacinal brasileiro é muito bem planejado e estudado. 

Se a doença está quase erradicada no País, por que ainda é necessário tomar a vacinação para preveni-la? 
Dra. Vivia Oliveira: 
Apesar de estarem quase erradicadas no Brasil, algumas doenças ainda existem em outros países. Com o mundo globalizado, qualquer pessoa pode viajar se contaminar com o vírus ou bactéria e trazer para o país de origem. Essa realidade pode ser vista com o que está acontecendo com o sarampo, por exemplo. 

Dica de vacinação: É fundamental estar com a carteira de vacinação em dia. Acesse o site do Ministério da Saúde para consultar o calendário de vacinação oficial ou procure um Centro de Saúde mais próximo https://bit.ly/2wZR7za

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: