Internet - São Camilo
  • Marcação de Consulta e Exames: (11) 3172-6800
Hospital São Camilo
  •  
  • >
  • Sua Saúde Agradece
Blog São Camilo

Últimas Postagens

Segundo pesquisa do Ministério da Saúde, o número de obesos no país aumentou 67,8% entre os anos de 2006 e 2018. Por outro lado, a prática de atividade física também aumentou; o registro foi de 38,1% em 2018. Os dados ainda apontam que a prática de alguma atividade física no tempo livre é maior entre os homens.

Alguns cuidados são necessários para o início da prática de exercícios. O primeiro deles é realizar uma avaliação física com o Cardiologista e o Ortopedista, ou um médico especialista em Medicina Esportiva. O objetivo é verificar a saúde do indivíduo e excluir a existência de doenças que poderiam ser agravadas com a prática da atividade física.
 
Após a avaliação, é recomendada a orientação de um profissional do esporte ou um professor de educação física para que defina a quantidade de exercícios aeróbicos e de musculação necessários mediante objetivo. Lembrando que, para pessoas que não praticam atividades físicas, o ideal é começar com exercícios aeróbicos (caminhadas ou bicicletas) mesclados com exercícios de fortalecimento muscular. Isso, porque os músculos que estabilizam a coluna, os quadris, os joelhos e os tornozelos podem não aguentar o esforço repentino sem o fortalecimento prévio.

De acordo com o Ortopedista Leandro Gregorut, atuante na Rede de Hospitais São Camilo, exercícios sem orientação podem desencadear problemas cardiovasculares como Infarto Agudo do Miocárdio ou AVC, lesões osteomusculares como distensões musculares e de ligamentos  e ainda inflamações indesejadas.

Exercícios MENOS indicados para pessoas obesas ou com sobrepeso
A corrida é o exercício menos indicado para o início das atividades. Modalidades que exigem muita força ou explosão muscular também não são aconselhadas.

  • - Cross Fit
  • - Jiu Jitsu
  • - Tênis

Exercícios mais indicados para pessoas obesas ou com sobrepeso

- Caminhada
- Bicicleta
- Atividades na água (hidroginástica, treinos na água)
- Musculação
- Treino funcional​

Hérnia de Disco

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

​A Hérnia de Disco é uma doença que afeta a coluna causando fortes dores. Atinge 5.4 milhões de brasileiros, segundos dados do IBGE.

A Hérnia de Disco consiste no deslocamento do disco que separa as vértebras da coluna em direção a coluna espinhal. O disco deslocado pode causar compressão nos nervos que saem da coluna. “A hérnia de disco pode acontecer na coluna cervical, afetando os braços, ou na coluna lombar, afetando as pernas”, explica Leandro Gregorut, Ortopedista atuante na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

Causas 

Normalmente, acontece quando há desidratação do disco intervertebral, provocando achatamento e deslocamento.
Os fatores de risco para a Hérnia de Disco são:

- Idade;
- Sobrepeso;
- Sedentarismo;
- Traumas​

Sintomas 

Os sintomas mais comuns da Hérnia de Disco são:

- Dor na coluna lombar ou cervical, irradiadas para os braços e pernas;
- Formigamento;
- Perda de sensibilidade e de força;
- Em casos graves, incontinência urinária e fecal

Prevenção 

Praticar exercícios físicos é a melhor maneira de se prevenir. É importante fortalecer os músculos do abdômen, da pelve e do CORE, que ficam ao lado da coluna cervical e lombar​.

Diagnóstico 

O diagnóstico da Hérnia de Disco é feito a partir da investigação da história clínica do paciente, exame físico e exames de imagem complementares, sendo a Ressonância Magnética o principal.

Tratamento 

O tratamento pode variar bastante, a depender da gravidade da doença. Casos mais simples podem ser tratados com medicamentos para a dor, fisioterapia, exercícios de alongamento e fortalecimento. Em casos mais sérios, pode ser necessário intervenção cirúrgica, como infiltrações ou cirurgias abertas.

Distensão Muscular: o que fazer?

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

​​A Distensão Muscular acomete com mais frequência àqueles que praticam atividades intensas, mas também pode lesionar qualquer pessoa na realização de atividades cotidianas.

​De acordo com ortopedista Leandro Gregorut, atuante na Rede de Hospitais São Camilo, a Distensão Muscular é o tipo de lesão mais comum na prática esportiva, independente da modalidade, sendo a maior incidência no futebol e na corrida.


Níveis de gravidade

Os Estiramentos podem ser classificados em 3 graus diferentes:

Tipo 1 - Lesão de poucas fibras, abaixo de 5% do total do músculo. A dor é localizada e surge durante a contração muscular, desaparecendo quando em repouso. Os danos são mínimos e a recuperação é rápida.

Tipo 2 - Lesão que pode acometer até 50% do diâmetro do músculo. Os sintomas são mais fortes e a recuperação é um pouco mais lenta.

Tipo 3 - Lesão maior que 50% do diâmetro muscular. Este tipo de lesão é visível e palpável​​.


Tratamento

Na grande maioria das vezes, o tratamento é conservador e requer repouso, crioterapia (tratamento que usa baixas temperaturas. Podem ser usados jatos em spray ou sondas previamente resfriadas), analgesia e fisioterapia. “Em raros casos a cirurgia é indicada”, diz Gregorut.

Prevenção

Para prevenir uma Distensão Muscular os músculos precisam ser devidamente fortalecidos e alongados, respeitando as limitações corporais e evitando treino sem supervisão profissional. ​


Câncer de Pele: Diferença entre Carcinoma e Melanoma

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

​O Câncer de Pele é o tipo de câncer mais frequente no Brasil e no mundo. Com a chegada do verão, os cuidado​s com a pele devem ser redobrados, pois com a radiação solar mais intensa e maior exposição ao sol, também são maiores os riscos.

O Câncer de Pele pode ser classificado de duas formas:

Melanoma

O Câncer de Pele Melanoma pode aparecer em qualquer parte do corpo, pele ou mucosas, na forma de manchas, pintas ou sinais. Em pessoas de pele negra, ele é mais comum nas áreas claras como palmas das mãos e plantas dos pés.

O Melanoma Cutâneo é o tumor de pele maligno mais agressivo. Esses tipos de tumores podem sair da pele e atingir qualquer órgão do corpo.

Não Melanoma (Carcinoma)

O Câncer de Pele Não Melanoma é o mais comum no Brasil e tem alta chance de cura, desde que seja detectado e tratado precocemente. O Câncer de Pele Não Melanoma apresenta tumores de diferentes tipos:

Carcinoma Basocelulares - Localizadas na última camada da epiderme, são os mais comuns.

Carcinoma Espinocelulares - Podem ocorrer em qualquer camada da epiderme.

Os carcinomas são menos agressivos, de desenvolvimento lento e raramente saem da pele. Geralmente, o aparecimento ocorre entre 30 e 50 anos, dependendo do tipo de pele (fototipo). Ambos têm por aspecto clínico alteração de cor, forma e sangramento local.
De acordo com a dermatologista Ana Celia Xavier, atuante no Hospital São Camilo de São Paulo, o principal fator predisponente é a exposição solar que o indivíduo sofreu na infância e adolescência, sem a utilização de fotoprotetores solares.

Diagnóstico
O diagnóstico é clínico (exame físico) feito pelo dermatologista. Em algumas situações, é necessário que o especialista utilize a dermatoscopia, exame no qual se usa um aparelho que permite visualizar algumas camadas da pele não vistas a olho nu. Alguns casos exigem um exame invasivo, a biópsia.

Tratamento
A depender do caso e condições clínicas do paciente, o tratamento pode ser tópico (com cremes), criocirurgia (processo terapêutico baseado no tratamento de lesões pelo frio), cirurgia e quimioterapia.


Detox é um termo que se popularizou bastante nos últimos anos. Trata-se da abreviação de desintoxicação, ou eliminação de toxinas. Quando nos alimentamos mal, consumindo alimentos processados, excesso de conservantes, gorduras, açúcares e calorias, expomos nosso organismo a toxinas.

Receitas Detox são receitas leves, com poucas calorias, muitas fibras e nutrientes. Confira abaixo algumas receitas.

Suco de couve com laranja
1 cenoura grande
2 colher de sopa gengibre
1 pepino
2 folhas de couve manteiga
1 laranja.
 
Bata os ingredientes no liquidificador com meio litro de água. Passe para uma jarra e acrescente 1,5 litros de água.

Suco de maçã, cenoura, laranja e gengibre
4 cenouras
1 maçã
1 limão (polpa e casca)
2 laranjas
1 pedaço de gengibre.
 
Bata os ingredientes no liquidificador com meio litro de água. Passe para uma jarra acrescente 1,5 litros de água.
 
Suco de melancia com hortelã
1 fatia de melancia com sementes
1 xícara de hortelã, com folhas e talos
Suco de 1 limão
1 copo de água de coco
 
Bata tudo no liquidificador. Beba ainda fresco.

​A Lactose é um açúcar natural que faz parte de produtos derivados do leite. Algumas pessoas podem ter Intolerância à Lactose e outras, simplesmente a excluem da dieta por opção.

Entenda sobre Intolerância à Lactose

Ser Intolerante à Lactose significa ter uma má absorção ou má digestão da Lactose devido a diminuição da capacidade de hidrolisar esta proteína.

Os sintomas mais comuns são: sensação de inchaço no abdômen, flatulência, diarreia, borborigmos (barulho estomacal) e, mais comum em jovens, vômitos.

A Intolerância à Lactose pode surgir de formas diferentes:

​• Primária ou genética - sendo a ausência parcial ou total da lactase (enzima encontrada em nosso corpo responsável pela quebra da lactose). Também pode ser desenvolvida em diferentes idades. 
• Secundária ou adquirida - resultado de lesões no intestino delgado ou de doenças associadas, como desnutrição e cólica ulcerativa, podendo ser desenvolvida ao longo da vida.

Nutrientes encontrados no leite de origem animal 

​​Segundo a nutricionista Simone Spadaro, atuante na Rede de Hospitais São Camilo, o leite fornece uma matriz acessível e rica em nutrientes essenciais como o cálcio (mineral mais importante para a saúde dos ossos e prevenção de doenças como a osteoporose). Além disso, oferece vitaminas e proteínas de fácil digestão, importantes para o suporte de todas as funções do organismo.

Alimentos podem substituir o leite, no que diz respeito a cálcio e nutrientes

Os alimentos que podem ter a função de substituir o leite são a sardinha, feijão, aveia, tofu, vegetais verde-escuros (couve, espinafre, brócolis) e amêndoas, pois contêm uma quantidade significativa de cálcio.

Para que o cálcio realize suas funções, também é necessário que os níveis de vitamina D estejam adequados. A exposição ao Sol é a principal fonte de vitamina D, embora alguns alimentos também a possuam.

Lembre-se de consultar seu médico ou nutricionista, antes de iniciar qualquer tipo de dieta.

Médico Fisiatra. Quando consultar?

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Especialidades

​​​A Fisiatria, também conhecida como Medicina Física e Reabilitação, é a especialidade médica que avalia e cuida da funcionalidade do indivíduo. O Fisiatra busca prevenir, diagnosticar e tratar qualquer incapacidade funcional do paciente.
 
Recentemente, a Organização Mundial da Saúde, OMS, estabeleceu a funcionalidade como terceiro indicador de saúde populacional, ao lado da mortalidade e adoecimento, destacando a importância da especialidade.
 
Quando consultar um Fisiatra?
Consultar-se com um Fisiatra é indicado quando há limitações físicas ou dores crônicas originárias de doença musculoesquelética, neurológica, oncológica ou cardiopulmonar.  
 
De acordo com a Fisiatra Milene Ferreira, atuante na Rede de Hospitais São Camilo, o Médico Fisiatra, além da avaliação física, também realiza avaliação funcional do paciente. “Assim, além de diagnosticar a doença, o Fisiatra busca entender seus impactos na funcionalidade e qualidade de vida do paciente”, explica.

O Fisiatra também é responsável por elaborar um plano de Reabilitação para o paciente, indicando terapias com equipe multiprofissional composta por fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e psicólogo. 

O que o Fisiatra pode tratar?

  • - Fisiatras podem tratar de diversas condições limitantes ou que desencadeiem dor. Alguns exemplos são:
  • - Disfunções osteoarticulares
  • - Debilidades pós tratamento de câncer como após a mastectomia ou ciclos de quimioterapia
  • - Doenças neurológicas como AVC, lesões da medula, Doença de Parkinson, entre outras
  • - Dores crônicas neuropáticas pós amputação ou de qualquer origem
  • - Reabilitação cardíaca e pulmonar após um infarto agudo do miocárdio, por exemplo
  • - Necessidade de preparação para a atividade física
  • - Alterações posturais pós cirurgia bariátrica.

Existem ainda, uma grande variedade de abordagens terapêuticas em que o Fisiatra pode atuar. Alguns exemplos são:

  • - Plano de reabilitação individualizado para a necessidade do paciente.
  • - Acupuntura
  • - Bloqueios analgésicos
  • - Prescrição de órteses, próteses e tecnologias assistivas (recursos que facilitam a funcionalidade)
  • - Prescrição de palmilhas terapêuticas
  • - ​Orientação para a prática  de atividade física adequada

Três lanches saudáveis para levar ao trabalho

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Alimentação

Nem sempre, quando bate a fome no meio do expediente, temos opções saudáveis disponíveis. Muitas vezes optamos pela praticidade e não nos atentamos as calorias e ao valor nutricional do alimento. Mas como fazer para que esse lanchinho que consumimos na correria do dia a dia, não seja prejudicial à saúde?

Levar lanche de casa pode ser uma opção. Veja abaixo três receitas deliciosas, saudáveis e muito fáceis de fazer.

Receita de Muffin de banana e aveia 

​2 xícaras de aveia em flocos 
2 potinhos de iogurte natural sem açúcar 
2 bananas 
2 ovos 
1 colher de chá de fermento em pó

Misture todos os ingredientes no liquidificador. Leve a massa a uma forma de silicone para muffin. Leve ao forno pré-aquecido a 200 graus e asse por cerca 20 minutos.

Sanduiche integral de ricota e peito de peru 

4 fatias de pão integral 
1 xícaras de ricota amassada 
2 fatias de peito de peru defumado 
½ cenoura média ralada
Agrião ou rúcula a gosto

O pão pode ser tostado antes, se preferir. Passe a ricota em uma fatia de pão e adicione acima a cenoura ralada, a fatia de peito de peru defumado e a rúcula ou agrião. Feche o sanduiche. Rende duas porções.

Sanduiche de atum 

4 fatias de pão integral 
1 lata de atum em água 
2 colheres de sopa de queijo cottage 
Salsinha picada a gosto 
1 tomate médio fatiado
Folhas de alface

Escorra o atum, amasse e misture com o queijo cottage e a salsinha. Passe a mistura no pão integral e adicione as fatias de tomate e folha de alface. Rende duas porções.

Artroplastia de Quadril/Cirurgia de Prótese de Quadril

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Especialidades

​A Cirurgia de Prótese de Quadril ou Artroplastia Total do Quadril (ATQ), geralmente é indicada para pacientes com desgaste no quadril (perda da cartilagem que reveste a cabeça do fêmur e o seu local de encaixe, o acetábulo) devido à artrose e artrite reumatoide. Segundo o ortopedista Leandro Gregorut, atuante na Rede de Hospitais São Camilo, a Artroplastia normalmente está associada a idade, mas pode ser indicada a pacientes que sofreram um acidente ou foram acometidos por doenças graves.

Cirurgia
A operação, atualmente, tende a ser menos agressiva em função do avanço de técnicas que permitem cirurgias menos invasivas. A técnica chamada de AMES é um caminho para chegar ao quadril sem agressão de nenhum músculo ou nervo. Com isso, a recuperação do paciente é mais rápida e menos dolorosa e as complicações inerentes à cirurgia, mínimas. Normalmente, o paciente é colocado de pé pouco tempo após a cirurgia.

Cuidados e fisioterapia pós-cirúrgica
É indicado que fisioterapia se inicie no 1º dia após a Artroplastia e que permaneça de 6 a 12 meses até que se restaure o movimento normal do quadril.

São avaliados neste processo, a força e a amplitude dos movimentos, assim como a diminuição da dor. A fisioterapia também auxilia a prevenção de complicações como deslocamento da prótese e formação de coágulos.

Dentre os exercícios recomendados para a reabilitação, estão:

• Alongamento
• Exercícios ativos
• Fortalecimento
• Propriocepção (A propriocepção é a capacidade que o próprio corpo tem de avaliar em que posição se encontra, a fim de manter o perfeito equilíbrio parado, em movimento ou ao realizar esforços)
• Treino de marcha (O treino de marcha inclui atividades como o treino de equilíbrio, postura e aprendizagem motora)
• Hidroterapia.

Outros recursos recomendados são: Eletroterapia, Ultrassom, bolsas de gelo para controle da dor e inflamação. 

Fibromialgia

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Especialidades

​A Fibromialgia é uma doença crônica não-inflamatória caracterizada por dores que irradiam por diversas partes do corpo. Cerca de 3% da população brasileira é acometida pela doença, segundo a Sociedade Brasileira e Reumatologia.

Causas
As dores da Fibromialgia não têm relação com lesões nas regiões doloridas. A doença, na verdade, tem origem neurológica e é causada pela redução dos neurotransmissores serotonina e noradrenalina, responsáveis pela regulação da sensação de dor.

A predisposição genética é um fator importante para doença, que atinge principalmente mulheres entre 30 e 50 anos, geralmente desencadeada por fatores ambientais como estresse. Sedentarismo é outro fator importante e está presente em uma grande parcela de pacientes com a doença.

Sintomas
Entre os sintomas mais comuns de fibromialgia estão:

• Dores difusas em várias partes do corpo
• Fadiga
• Distúrbio do sono
• Depressão
• Ansiedade
• Tontura
• Irritabilidade
• Problemas de memória
Fibromialgia e depressão

De acordo com o Dr. Levi Jales, Reumatologista atuante na Rede de Hospitais São Camilo, a Fibromialgia está fortemente relacionada a depressão, por ser uma doença que também afeta os níveis de neurotransmissores. “Cerca 60% dos portadores sofrerão depressão no curso da doença”, explica Jales.

Diagnóstico
O diagnóstico da Fibromialgia considera o índice de dor difusa, a presença e severidade dos sintomas e manifestações associadas. Exames laboratoriais ou de imagem são solicitados com o objetivo de descartar outras possíveis doenças e avaliar enfermidades associadas a Fibromialgia.

Tratamento
O tratamento da Fibromialgia se dá com medicamentos associados a terapias, como:

• Psicoterapia
• Atividades físicas
• Acupuntura
• Meditação

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: