Internet - São Camilo
  • Marcação de Consulta e Exames: (11) 3172-6800
Hospital São Camilo
Blog São Camilo

Ver mais

27 de Novembro – Dia Internacional de Combate ao Câncer

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:
​​Vivenciar o tratamento oncológico tende a ser assustador e desgastante. Com a exposição ao estresse desse período, as emoções e a saúde mental do paciente costumam ser muito afetadas. 
Após concluir o tratamento, há o processo de retomar a rotina, reconstruir a vida e superar emocionalmente essa experiência tão complexa. O apoio de pessoas próximas é fundamental.
 
Durante o tratamento
O sofrimento do paciente oncológico começa no diagnóstico, onde ele se depara com o medo e a insegurança, característicos desse tipo de doença e tratamento. Durante o tratamento, que costuma exigir dedicação integral, a rotina do paciente é expressivamente alterada. De acordo com a psicóloga Rita Calegari, Gerente Multiprofissional da Rede de Hospitais São Camilo, a reação de enfrentamento é muito pessoal e mobiliza recursos internos (emoções, espiritualidade, propósito de vida, vivências anteriores, etc.) e externos (rede de apoio, familiares, equipe de saúde, recursos médicos, etc.). “As mudanças inesperadas e indesejadas causam estresse, tristeza, ansiedade, alterações no padrão de sono e na alimentação e afetam a qualidade de vida”, explica Calegari. 
 
Após a cura
Mesmo após a conclusão do tratamento é comum haver o medo do retorno da doença. Isso pode gerar insegurança e afetar a forma de se relacionar com a vida e com o futuro. Algumas pessoas podem ser impactadas de maneira positiva pela experiência e passarem a ver um novo sentido na sua existência, valorizando o que realmente importa a elas. Outras ficam tão assustadas que precisam de mais tempo e de apoio profissional (de psicólogos e psiquiatras) para processar a experiência.

Sequelas
Alguns tipos de câncer precisam de tratamentos que ocasionam sequelas definitivas, como por exemplo a perda de um órgão ou membro do corpo. Calegari explica que perder uma parte do seu corpo - mesmo quando não é visível aos outros, pode gerar sentimentos de luto.  “A pessoa passa por uma etapa de elaboração da perda, que pode ser lenta e levar anos até a aceitação de sua nova condição.”
 
Superação
As dificuldades emocionais desse processo podem ser superadas com o fortalecimento dos recursos internos, que todos nós dispomos. Isso pode ser feito com o apoio de profissionais, como o psicólogo, que na rede São Camilo fazem parte da equipe multiprofissional de apoio ao paciente oncológico e seus familiares. O apoio de familiares e amigos, a espiritualidade (que pode ser devocional/religiosa ou não), a prática de atividades físicas e a meditação - são outras possibilidades muito importantes para ajudar o paciente nesse processo. 

Dicas
- Tenha paciência consigo e com as suas limitações;
- Mantenha sua rede de apoio o mais próximo possível;
- Realize o acompanhamento médico recomendado;
- Busque ajuda especializada;
- Retome a carreira aos poucos;
- Estabeleça metas possíveis e celebre cada pequena vitória;
- Compartilhe seus planos com as pessoas próximas para que elas te apoiem;
- Não se esqueça do que aprendeu e superou nesse tratamento.