Internet - São Camilo
  • Marcação de Consulta e Exames: (11) 3172-6800
Hospital São Camilo
  •  
  • >
  • Sua Saúde Agradece
Blog São Camilo

Outubro 2019

Comida traz felicidade?

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Alimentação

Sim, a alimentação pode afetar diretamente o nosso humor. E a explicação para isso é muito mais científica do que parece.

 

A química de certos alimentos pode alterar a produção de neurotransmissores (comunicação entre as células nervosas que interferem nas nossas emoções). Alguns deles podem ajudar na produção da serotonina, que é conhecido como hormônio do "bem-estar". Quando o cérebro aumenta a sua produção há uma redução na sensação de dor e melhora na qualidade do sono e no apetite.

De acordo com a nutricionista Marisa Resende Coutinho, atuante na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, todos os grupos de alimentos têm o seu papel no desenvolvimento da sensação de bem-estar.

 

Uma curiosidade para as pessoas que cortam o carboidrato da dieta é que o carboidrato eleva o nível de insulina e ajuda na absorção do triptofano, aminoácido precursor da serotonina, portanto as dietas que tendem cortar o carboidrato podem aumentar a sensação de irritabilidade.

 

Alimentos que aumentam a sensação de bem-estar

 

Proteínas - Os alimentos ricos em proteínas contêm triptofano, que auxilia na sensação de bem-estar. Alguns exemplos são carnes, ovos, feijão, leite e derivados.

 

Alface – É rico em lactucina que tem propriedades calmantes. É indicado para diminuir os níveis de estresse.

 

Vegetais folhas escuras - Couve, brócolis, rúcula, entre outros vegetais com folhas escuras são ricos em ácido fólico que auxilia a liberação de serotonina no organismo.

 

Chocolate – É rico em cacau, possui carboidrato e triptofano que auxiliam na produção de serotonina no organismo. Opte por chocolate de concentração 70% de cacau.

 

Frutas - Banana, laranja, maracujá e jabuticaba combatem o cansaço e o estresse. Frutas ricas em vitamina C, ativam o funcionamento da glândula adrenal, que regula a produção de cortisol, conhecido como o hormônio do "estresse".

 

Oleaginosas - Nozes, amêndoas, castanhas, possuem selênio, cobre e magnésio que também auxiliam na diminuição do estresse.

 

Peixes e frutos do mar – São ricos em selênio e vitamina B12. Ajudam a reduzir a ansiedade e o cansaço. O ômega 3, presente nesses alimentos, colabora com a produção de neurotransmissores.

 

Evite alimentos que podem gerar mau humor

O excesso de consumo de alimentos refinados como trigo e arroz branco, causam variações nos níveis de insulina e glicose, o que contribui para a irritação.

Quando comemos muito doce, em especial com grande concentração de açúcar, temos uma sensação momentânea de bem-estar e euforia, pois estes alimentos estimulam a produção de serotonina. Essa sensação é temporária e o consumo constante desses alimentos pode causar depressão e desânimo.

Câncer de Ovário

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Saúde da Mulher

O Câncer de Ovário é o segundo mais comum entre as mulheres. De acordo com dados do Instituto nacional do Câncer (INCA), em 2018 foram registrados 6150 novos casos da doença. Em 75% dos casos, a doença surgiu em mulheres entre 50 e 75 anos. Apenas em 5% dos casos, mulheres de 30 anos ou menos foram acometidas pela doença. Nesses casos, geralmente, a doença está relacionada a hereditariedade (de 1 em cada 10 casos de câncer de ovário).

 

Tipos 

Cerca de 90% dos casos são de carcinoma de ovário, que surgem na superfície do órgão. Mais raramente podem surgir no interior do tecido ovariano, correspondendo aos tumores germinativos ou estromais, que são bem mais raros. 

 

Sintomas 

  • Inchaço abdominal 
  • Dor abdominal 
  • Perda de apetite e de peso 
  • Mudança no hábito intestinal e urinário 

     

    Como detectar 

    O câncer de ovário pode ser detectado precocemente por meio de ultrassonografias em check-ups de rotina. Muitas vezes, o diagnóstico é realizado apenas quando são apresentados os sintomas. Nesses casos é frequente que a paciente seja encaminhada diretamente para a cirurgia.   

     

    Tratamento 

    O câncer de ovário é tratado com a retirada dos ovários, trompas, útero e de um tecido chamado omento, que fica dentro da cavidade abdominal. Após a cirurgia é realizada uma "avaliação do risco de disseminação futura", para determinar se há necessidade de uma quimioterapia complementar.  

     ​

Principais doenças que afetam nossa saúde bucal

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

Manter a saúde bucal em dia é importante para o bem-estar, a autoestima e a saúde geral de seu corpo. A correta mastigação dos alimentos é fundamental para uma boa digestão e melhor absorção dos nutrientes. 

 

Para ter um sorriso bonito e saudável é preciso escovar os dentes após cada refeição e antes de dormir, além de passar o fio dental e ir ao dentista regularmente. Veja quais são as principais doenças que podem afetar o seu sorriso: 

 

Cárie 

A cárie é uma doença causada por bactérias que vivem na boca e utilizam o açúcar da alimentação para produzir ácidos que destroem os dentes. Ela pode avançar causando dor e desconforto e até a perda do dente.

 

Doenças da gengiva 

As doenças nas gengivas ocorrem principalmente pelo acúmulo de placa bacteriana (película viscosa e incolor formada por bactérias e restos de alimentos acumulados na superfície dos dentes e na gengiva). Começam com a inflamação da gengiva, chamada de gengivite. Inicialmente, nota-se que a gengiva sangra. Se a gengivite não for tratada, pode avançar e atingir o osso que sustenta o dente (periodontite), podendo levar à perda do dente. 

 

Lesões na boca 

Observe regularmente se existe alguma alteração nos lábios, bochechas, gengivas, céu da boca, garganta, na superfície e abaixo da língua. Procure por manchas, caroços, inchaços, placas esbranquiçadas, avermelhadas ou feridas. Se você observar alguma alteração em sua boca ou ferida que não cicatriza, mesmo que indolor, procure um dentista ou outro profissional de saúde para realizar uma avaliação. 

 

Tendinite ou bursite. Você sabe a diferença?

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

Tendinite
Por Tendinite, entende-se a inflamação de um tendão (conjunto de fibras que conectam o músculo a um osso). São os tendões os responsáveis pelo movimento das mãos, ombros, pernas e outras regiões do corpo.

Bursite 
Bursite trata-se da inflamação de um tecido chamado "Bursa" (do grego "Bolsa"). A Bursa é um tecido que envolve as articulações e funciona como amortecedor entre ossos, tendões e tecidos musculares. A Bursa se encontra no ombro, joelho, quadril, tornozelo, ETC.

Sintomas
Os sintomas da Tendinite e Bursite são muito semelhantes:

  • Dor ao se movimentar.
  • Aumento de temperatura na região afetada.
  • Em alguns casos, vermelhidão e inchaço.

Quais as causas da Tendinite e Bursite?
Segundo o Dr. Leandro Gregorut, ortopedista atuante na Rede de Hospitais São Camilo, a causa mais comum da Tendinite é o excesso de uso dos tendões, que não suportando a demanda solicitada, inflamam. A causa mais comum da Bursite é o aumento do atrito entre o tendão e o osso, também causando inflamação.

Quais são os tipos de Tendinite e Bursite?
Os tipos são divididos entre agudo, quando os sintomas têm menos que 3 meses e crônico quando os sintomas têm mais que 3 meses. Há também a Tendinite e a Bursite infecciosa, causadas por infecção bacteriana.

Prevenção e Tratamento
Entre os tratamentos indicados estão: fazer uso de medicação analgésica e anti-inflamatória, fisioterapia e, em alguns casos, repouso ou imobilização.
A melhor prevenção é a prática de exercícios físicos para fortalecer a musculatura. Além disso é recomendado alongamento e muito cuidado com a postura ao realizar qualquer atividade cotidiana.

Nódulos benignos de mama ou tumores benignos de mama, são caroços que aparecem nos seios, em geral, de mulheres jovens. O aparecimento de um tumor na mama assusta e causa ansiedade, mas fique calma! Nódulos benignos não têm nenhuma relação com câncer de mama e não são graves. 

 

Como identificar 

Os nódulos benignos são geralmente percebidos na palpação das mamas. É comum que apareçam mais de um. Às vezes, o nódulo benigno é doloroso ao toque. 

 

É importante ficar atenta a outros sintomas, como a presença de um inchaço ou de uma área retraída na mama - ou embaixo da axila, descarga espontânea de secreção pelo mamilo, sem que a mulher faça compressão, alterações na pele como rubor localizado ou espessamento da pele (semelhante a uma casca de laranja) e alterações no mamilo (invertido, vermelho, espesso ou descamando). Esses sintomas podem indicar presença de tumor maligno. 

 

A prevenção por meio do autoexame, possibilita a identificação dos nódulos precocemente, o que aumenta expressivamente as chances de cura. Consulte seu médico para a realização de um diagnóstico através de ultrassonografia ou mamografia. 

 

 

Tipos mais comuns 

  • Cistos: são como capsulas preenchidas com substância líquida. 7 a 10% das mulheres ocidentais desenvolvem cistos na mama ao longo da vida. 
  • Fibroadenomas Mamários: tumores benignos. Ao menos 10% das mulheres desenvolvem fibroadenomas no início da idade reprodutiva. 
     

    É câncer? 

    Segundo o Dr. Carlos Dzik, oncologista atuante na Rede de Hospitais são Camilo de São Paulo, nódulos benignos não tem relação com câncer. Em geral, estão relacionados à fatores hormonais em diferentes momentos da vida. "Não existe associação entre nódulos ou tumores benignos e câncer", explica Dzik. 

     

    Tratamento 

    Muitas vezes os nódulos benignos demandam apenas acompanhamento da evolução, sem necessidade de qualquer intervenção. Eles normalmente desaparecem espontaneamente, principalmente quando são pequenos. A remoção cirúrgica pode ser indicada para tumores maiores, que causam dor ou alteram a aparência da mama. 

Sempre procure avaliação médica ao notar a presença de qualquer nódulo.

Câncer de tireoide é mais comum em mulheres

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Saúde da Mulher

Três vezes mais comum em mulheres, o câncer de tireoide é assintomático na maioria dos casos. De acordo com estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), foram 9.610 novos casos da enfermidade em 2018, especialmente em mulheres das regiões Sudeste e Nordeste.  

 

Como é detectado 

O câncer de tireoide normalmente é detectado em ultrassonografias ou em palpações no pescoço. O diagnóstico é confirmado por meio de biópsia guiada por uma ultrassonografia. Felizmente, 90% dos nódulos detectados na tireoide são benignos. O tumor geralmente é descoberto ainda pequeno e pode ser tratado na fase inicial.

 

Tipos de câncer 

Existem quatro tipos de tumor na tireoide: 

- Carcinoma Papilífero: O mais comum. Cresce muito lentamente e pode ser curado mesmo em estágios mais avançados. 

- Carcinoma Folicular: Tumor menos comum e em geral facilmente curável. 

- Carcinoma Medular: Único tumor que pode ter herança genética. Costuma aparecer em adolescentes ou adultos jovens e pode estar em vários lugares da glândula, mesmo em estágios iniciais. 

- Carcinoma Anaplásico: O mais agressivo. Surge a partir de um tumor papilífero ou folicular inicial. Felizmente é uma variante rara. 

 

Tratamento  

O tratamento do câncer de tireoide é feito cirurgicamente, com a retirada de parte ou de toda a glândula tireoide. Quando a doença está mais avançada, os pacientes podem ser submetidos a tratamento com iodo radioativo.

Ansiedade não é frescura

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

Quem nunca sentiu um friozinho na barriga antes de uma prova, de uma entrevista de emprego ou de uma apresentação em público? Preocupação, nervosismo, irritabilidade e medo são sintomas comuns a qualquer um em situações de expectativa ou cobrança.  A reação trata-se de um mecanismo de defesa do organismo, que nos leva a evitar situações de risco e nos deixa alerta para cumprir uma determinada tarefa com máxima atenção. Fisicamente, ainda é possível experimentar sintomas como tremores, sudorese, aumento dos batimentos cardíacos, tontura, falta de ar, dores no peito e na cabeça e tensão muscular.

A ansiedade se torna um problema quando é persistente, gera uma sensação de insegurança desproporcional à realidade e atrapalha as atividades cotidianas do indivíduo. Nesse caso, pode ser considerada um transtorno mental e requer tratamento.

Como a ansiedade é desencadeada

Os distúrbios relacionados a ansiedade são reflexo, em grande parte das vezes, de jornadas extensas de trabalho, cobranças excessivas, problemas financeiros ou familiares e eventos traumáticos.

No Brasil, 9,3% da população sofre de algum distúrbio relacionado a ansiedade, segundo dados da OMS. As mulheres são o público mais suscetível à ansiedade, tanto por questões hormonais quanto pela pressão no trabalho e da vida pessoal.

Quando procurar um especialista

Você deve procurar um médico quando sentir muita dificuldade para relaxar ou quando os sintomas forem intensos de forma que a ansiedade atrapalhe o desempenho das atividades do dia a dia.

Em função do preconceito e do desconhecimento, é comum as pessoas não darem atenção à transtornos mentais como a ansiedade, que necessitam de tratamento psicológico e às vezes, psiquiátrico.

Transtornos mentais não são frescura e podem atingir qualquer um. Não tenha vergonha de buscar ajuda profissional, se sentir necessidade.

Mitos e verdades sobre refluxos

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

A doença do refluxo gastresofágico (DRGE), ou simplesmente refluxo, é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago e órgãos próximos. O problema é que esses órgãos não estão preparados para suportar a acidez do suco gástrico. Por isso o refluxo provoca sintomas como azia, queimação e sensação de regurgitação, o que pode causar lesões. A doença tem cura e pode ser tratada com mudança de hábitos alimentares, medicação e, nos casos mais sérios, cirurgia. Confira os mitos e verdade sobre o refluxo:

Evitar alimentos gordurosos ajuda no combate ao refluxo: VERDADE! Alimentos gordurosos têm digestão mais longa. O tempo no estômago favorece o retorno do conteúdo gástrico. Por isso, uma dieta balanceada, moderada em gorduras, é fundamental no controle da doença.

Chás e receitas caseiras curam o refluxo: MTO! Alguns chás ou receitas caseiras podem até aliviar os sintomas, mas apenas temporariamente. Eles não são capazes de curar a doença.

Obesidade pode ocasionar o refluxo: VERDADE! A obesidade pode causar um aumento da pressão intra-abdominal, que é um dos mecanismos anatômicos que favorecem o refluxo. O controle do peso contribui para o tratamento da doença.

Café, álcool e chocolate podem aumentar o refluxo: VERDADE! Alguns alimentos como café, álcool, chocolates, pimenta, embutidos e alguns carboidratos podem aumentar o tempo de digestão e precipitar crises de refluxo. Por isso devem ser evitados, especialmente durante as crises da doença.

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: