Internet - São Camilo
  • Marcação de Consulta e Exames: (11) 3172-6800
Hospital São Camilo
  •  
  • >
  • Sua Saúde Agradece
Blog São Camilo

Abril 2020

Cartilha Estamos em Casa

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

​​Praticar o isolamento social permanecendo em casa é a melhor forma de frear a circulação do novo coronavírus. Para muitos, essa é uma situação completamente inusitada; estar sob regime de home office e ainda auxiliar as crianças com as atividades escolares é um desafio.

Pensando nisso, elaboramos a cartilha “Estamos em Casa” para download. A proposta do material é oferecer uma série de atividades prazerosas para toda a família, que estimulam corpo e mente.

A Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, permanece comprometida com sua missão de cuidar da vida com o mesmo acolhimento de sempre, ainda que distante fisicamente.

Clique na imagem e faça o download do material. Aproveite em família!

​​​

ClickSaoCamilo_237x186_emcasa.png

O impacto do Covid-19 em Doenças Cardiovasculares

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Especialidades

​A pandemia do Novo Coronavírus mobilizou o mundo inteiro em medidas de distanciamento social como forma de frear a disseminação da doença. O foco é na preservação das pessoas mais vulneráveis, àquelas que estão em grupos de risco, como idosos e portadores de doenças crônicas, entre elas, doenças cardíacas. O cardiologista Paulo Pêgo, atuante na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, explica quais são os fatores que tornam o paciente cardíaco mais vulnerável.

Risco de infarto

De acordo com o Dr. Paulo Pêgo, foi constatado em pesquisas, que pacientes em quadros graves de infecção pelo Novo Coronavírus têm alteração nos fatores de coagulação, o que leva a formação de coágulos em vasos sanguíneos. Esses coágulos podem desencadear uma trombose coronariana e levar a um infarto. Esse risco existe até para não portadores de doença coronariana prévia, mas obviamente, portadores têm risco maior.

Inflamação no coração

Outro agravante são as reações inflamatórias desencadeadas pela Covid-19. Essas reações podem chegar ao coração, gerando um quadro de miocardite, aumentando o risco de complicações cardíacas.

Interação medicamentosa

​Um outro fator de risco está relacionado a interação medicamentosa. Isso, porque alguns dos medicamentos usados em pacientes com Covid-19 podem interagir com remédios que portadores de doenças cardíacas precisam tomar. 

Como o Isolamento Social pode afetar o sono?

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

​Como você tem dormido neste período de quarentena? Permanecer em casa o dia inteiro, inclusive para trabalhar, pode parecer bom para o descanso e relaxamento. No entanto, muitas pessoas têm relatado ansiedade e dificuldade para dormir. O neurologista Edson Issamu, atuante na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, explica quais são os três principais fatores que podem desencadear a insônia.

Rotina

Edson Issamu, explica que o primeiro fator é a mudança na rotina. A rotina é fundamental para o sono de qualidade e para manter os ciclos naturais de sono e vigília regulados. A mudança no cotidiano e a ausência de uma rotina bem definida são fatores que merecem atenção.

Disciplina

A ausência da disciplina imposta pela rotina do trabalho, também pode afetar o ciclo sono-vigília. Esse é o segundo fator apontado por Issamu. Com a liberdade doméstica, a tendência para muitos é passar a dormir e acordar cada vez mais tarde.

Uso de celulares

No período de quarentena, as empresas de telecomunicação têm relatado um aumento considerável no uso da internet no país. Esse pode ser o terceiro fator a atrapalhar o repouso. O excesso de estímulos com o uso de computadores e celulares antes de dormir, induz a redução de melatonina, hormônio responsável pelo sono. Isso faz o cérebro entender que ainda não é hora de dormir.

Como dormir melhor

Noites mal dormidas podem trazer uma série de comprometimentos como déficit de atenção, sonolência diurna persistente, mudanças de humor e baixo desempenho profissional.

Para noites de sono agradáveis durante este período de isolamento social é preciso estabelecer uma rotina disciplinada de atividades. Praticar exercícios também pode ajudar. Outros cuidados simples como garantir que o quarto esteja escuro e silencioso, além de é claro, evitar o uso do celular, também podem trazer benefícios.
Siga essas dicas e durma bem!

As complicações respiratórias da Covid-19

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

A COVID-19, causada pelo novo Coronavírus (SARS-CoV-2) é uma doença que afeta primariamente o sistema respiratório dos pacientes infectados. No sistema respiratório, o vírus pode causar desde de sintomas leves, semelhantes à de um resfriado comum como coriza, espirros e dor de garganta, até casos graves como pneumonia.

O Dr. Celso Padovesi, Pneumologista atuante na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, esclarece algumas dúvidas acerca das complicações respiratórias causadas pela Covid-19. Confira abaixo.

Como as lesões causadas pelo novo Coronavírus afetam a respiração​

O novo Coronavírus pode causar pneumonia grave em alguns pacientes, levando a uma dificuldade para os pulmões cumprirem uma de suas principais funções; passar o oxigênio do ar para o sangue. Com isso, o paciente tem uma queda da oxigenação do sangue e passa a apresentar falta de ar. Nestes casos pode ser necessário suplementação de oxigênio para compensar a deficiência dos pulmões. Quando a pneumonia é muito grave, só o oxigênio extra não é o suficiente e o paciente pode precisar de uma intubação e respiração artificial com respiradores mecânicos.

Fatores de risco

​Padovesi, alerta que portadores de doenças crônicas, assim como idosos, possuem mais riscos de complicações em decorrência da Covid-19 em função da redução de sistema imunológico.

2 de Abril - Dia Mundial de Conscientização do Autismo

Autor: Comunicação Corporativa Categoria:

​​Em 2008, a ONU instituiu o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, celebrado hoje, dia 2 de abril. A data chama a atenção para a importância do diagnóstico e tratamento contínuo do Transtorno do Espectro Autista (TEA), um conjunto de condições relacionadas a perturbações no desenvolvimento neurológico.

Segundo estimativa da OMS, o TEA atinge mais de 70 milhões de pessoas no mundo, sendo mais frequente em meninos. Suas manifestações têm ampla variabilidade e intensidade, tornando o diagnóstico muitas vezes complexo. As principais características são dificuldade na comunicação e interação social, padrões repetitivos de comportamento, interesses fixos ou limitados e sensibilidade sensorial alterada.

Crises nervosas ocasionais são comuns aos portadores do transtorno. Em crianças, essas crises são muito similares a birras, dificultando a interpretação e intervenção dos pais.  

Crise x birra

​Através da birra, as crianças têm por objetivo conseguir algo que lhes foi negado. São tentativas de chamar a atenção do adulto e convencê-lo a dar aquilo que ela deseja.

Já as crises de uma criança com TEA são resultado de uma sobrecarga sensorial.  A criança com TEA processa os estímulos de forma não convencional e muitas vezes, aumentada. Sons, luzes ou cheiros podem ser extremamente desagradáveis. As crises não têm um propósito e estão além do controle da criança.

Em apoio ao Abril Azul, a Rede de Hospitais São Camilo, ao longo de todo o mês, iluminará as fachadas de cada uma de suas com cor azul, símbolo da campanha. 

* Colaboração: Dr. Edson Issamu, Yokoo, Neurologista.

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: