Internet - São Camilo
  • Marcação de Consulta e Exames: (11) 3172-6800
Hospital São Camilo
Blog São Camilo

Ver mais

Conhecendo os benefícios do sal de ervas

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Dicas de Saúde, Alimentação

Hoje em dia, com a correria da vida moderna, ficou muito mais fácil e prático escolher nas prateleiras dos supermercados aqueles alimentos industrializados, processados e de preparo rápido. Mas nem sempre a praticidade deve ser o fator principal na hora de definir o cardápio do dia. Isso porque, além desse tipo de alimentação não ser adequado, ele também pode trazer alguns riscos à saúde.

O vilão, nesse caso, é o excesso de sódio contido na maioria desses alimentos. Segundo a OMS, a Organização Mundial da Saúde, os adultos devem consumir menos de 5 gramas de sal por dia – o equivalente a menos de uma colher de chá rasa –, mas os brasileiros estão muito acima dessa recomendação e consomem em torno de 12 gramas ao dia. 

Uma dieta com grande quantidade de sódio pode causar problemas de saúde, como hipertensão, insuficiência renal e problemas cardiovasculares. Pensando nisso, médicos, nutricionistas e endocrinologistas têm sugerido que as pessoas não deixem o saleiro sempre à mesa e que façam substituições saudáveis, como a utilização do sal de ervas que, nada mais é, do que uma preparação que realça o sabor e o aroma dos pratos, ajudando a diminuir a quantidade de sal durante as refeições.

Segundo Ligia Santos, Coordenadora do Setor de Nutrição e Dietética na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, o incentivo a uma dieta mais saudável, redução de alimentos industrializados, cujo teor de sódio é bem maior se comparado aos alimentos in natura, e o aumento no consumo de hortaliças e frutas,  ajudam a diminuir o risco da hipertensão, que é um dos problemas de saúde pública no Brasil.

"É possível encontrar nas ervas os fitoquímicos, que é um dos principais grupos de antioxidantes. Além dele, os compostos fenólicos aparecem como os principais responsáveis pelas propriedades atribuídas às ervas aromáticas, que participam na prevenção de problemas cardiovasculares, estimula o sistema digestivo e potencializa o sistema imunitário", acrescenta Lígia.

Algumas das ervas mais usadas são: o alecrim, manjericão, manjerona, orégano, cheiro verde e sálvia. É a partir delas que o sal de ervas é feito, acrescentando apenas uma pequena quantidade de sal. "A receita-base é uma parte de sal para três partes de ervas, ou seja, para cada 100 gramas de sal é preciso de 300 gramas de ervas", complementa.

Confira algumas sugestões de combinações:

Receita 1 – 1 pacote de alecrim, 1 pacote de manjericão, 1 pacote de manjerona, 1 pacote de orégano, 1 pacote de cheiro verde e 200g de sal comum.

Receita 2 – 1 xícara de chá de sal grosso, 1 xícara de chá de orégano, 1 xícara de chá de alecrim, 1 xícara de chá de sálvia.

Receita 3 – 25g de manjericão, 15g de orégano, 10g de salsinha, 100g de sal.

Além dessa dica, a nutricionista recomenda lavar bem e secar as ervas frescas antes de utilizá-las. A mistura pode ser feita tanto em um liquidificador quanto em um processador e o sal escolhido pode variar de acordo com o gosto, podendo ser o sal comum, o sal marinho, o sal grosso e até mesmo o light. Já o armazenamento deve ser feito em um recipiente fechado e em um local fresco e seco.

Feito isso, chegou a hora de colocar a mão na massa e a fazer preparações saudáveis e deliciosas que vão agradar toda a família. Para ajudar, a nutricionista deu algumas dicas de combinações entre os alimentos e as ervas, confira:

Sal_de_Ervas_.png