Internet - São Camilo
  • Marcação de Consulta e Exames: (11) 3172-6800
Hospital São Camilo
Blog São Camilo

Ver mais

Dia Mundial do Diabetes: o bom controle evita complicações

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Curiosidades, Alimentação, Dicas de Saúde
​A insulina é um hormônio produzido no pâncreas e responsável por transportar a glicose para dentro das células, com a finalidade de gerar energia. Diabetes Mellitus é uma doença crônica caracterizada por hiperglicemia (aumento de glicose no sangue) causada por falta absoluta ou relativa da insulina.

O diabetes se manifesta quando o organismo não consegue utilizar os nutrientes (derivados de carboidratos, proteínas e gorduras) da digestão dos alimentos para produzir energia e mover o corpo, ou para armazená-los em órgãos como fígado, músculos e células gordurosas.

Com o tempo, o excesso de glicose (hiperglicemia) pode causar dano nos vasos sanguíneos e nos nervos, além de ser responsável por complicações como ataque cardíaco, derrame cerebral, perda da função renal, problemas na visão, amputação de membros inferiores e lesões de difícil cicatrização.

Quando o diabetes é bem controlado, com medicações ou insulina, o risco de desenvolver complicações é menor. Por isso, é muito importante conhecer sua doença, controlar a taxa de glicose no sangue e montar um plano de ação a fim de minimizar tais complicações.

O Diabetes Mellitus (DM) é dividido basicamente em:

• DM tipo 1: existe uma destruição das células produtoras de insulina (células Beta do pâncreas) por mecanismo autoimune, que leva a uma deficiência absoluta de insulina. Nesse caso, é necessário suprir a falta de insulina por meio de injeções. Esse tipo de diabetes afeta geralmente crianças, adolescentes e indivíduos jovens, mas tem sido detectado também em adultos e, nesse caso, recebe o nome de LADA (latent diabetes of the young).

• DM tipo 2: o organismo produz insulina, mas ela não consegue agir de forma eficaz (deficiência relativa de insulina) por causa de uma resistência a sua ação. As principais causas de resistência à ação da insulina são a obesidade e a falta de atividade física. As pessoas com maior risco para desenvolver esse tipo de diabetes são: indivíduos com mais de 40 anos, com histórico familiar de diabetes, obesos, pessoas com problemas de colesterol e de coração e mulheres que tiveram diabetes gestacional.

• DM gestacional: alteração da glicose diagnosticada durante a gestação, relacionada à resistência provocada pelos hormônios produzidos pela placenta.

• Outros tipos de diabetes: resultam de condições específicas e de doenças relacionadas às funções exócrinas do pâncreas, cirurgias e infecções, ou podem ser induzidos por drogas como corticoides.

​Como você pode ajudar a controlar seu diabetes?

1. Procure manter uma atividade física frequente.

O exercício físico melhora a captação da glicose pelo músculo, potencializa a ação da insulina e, assim, ajuda a reduzir a glicemia (açúcar no sangue). Recomenda-se fazer atividade física por pelo menos 30 minutos, cinco dias da semana.

Algumas dicas de mudanças de hábito ajudam no controle, como usar escadas em vez de elevadores, parar o carro mais longe para fazer um percurso maior a pé, ir até um colega de trabalho para conversar em vez de usar o telefone etc.

2. Adote hábitos alimentares saudáveis.

• Coma devagar e mastigue bem os alimentos.

• Faça as refeições em ambiente calmo.

• Não pule refeições, respeite os horários determinados e evite longos períodos de jejum.

• Não vá ao supermercado com fome e sempre tenha em mãos sua lista de compras e possíveis substituições.

• Inicie o almoço e o jantar com um prato de salada.

• Prefira os laticínios desnatados (leite, iogurte, queijo fresco, cottage, ricota, requeijão light, cream cheese light).

• Evite frituras; substitua por preparações cozidas, grelhadas ou assadas.

• Prefira carnes magras (frango sem pele, peixe, carne vermelha sem gordura).

• Prefira alimentos ricos em fibras (verduras, frutas, pão integral, arroz integral, cereais integrais, aveia, semente de linhaça), pois ajudam a controlar a glicemia e aumentam a saciedade.

• Evite ingerir líquidos durante as refeições.

• Inclua peixe em suas refeições ao menos duas vezes por semana, preferencialmente grelhados, assados ou cozidos.

• Modere o consumo de alimentos refinados, como arroz, pão branco, massas, batata, farinhas, biscoitos etc.

• Evite bebidas alcoólicas.

• Consuma qualquer fruta, mas no máximo três a quatro porções ao dia; não abuse dos sucos naturais.

• Não consuma alimentos com açúcar; substitua o açúcar por adoçante artificial.

- ATENÇÃO: produtos dietéticos (diet), apesar de não conterem açúcar, podem conter gordura . Por isso, use com moderação.

• Varie os tipos de adoçantes dietéticos (aspartame, ciclamato, Stévia, sucralose, sacarina). Utilize adoçante à base de frutose com moderação. EVITE usar Mid sugar® ou açúcar light.

• Leia sempre os rótulos dos alimentos para ter certeza de que o alimento não contém açúcar.

• Consuma apenas bebidas diet ou zero açúcar. Os alimentos light podem conter açúcar. Por isso, leia sempre o rótulo.

3. Tome as medicações de forma correta.

O Diabetes Mellitus pode ser tratado com dieta e exercícios físicos, medicações orais e injeções de aplicação subcutânea, como insulina, e os novos medicamentos, como as incretinas. O importante é sempre mantê-lo bem controlado e a hemoglobina glicada dentro da meta proposta por sua equipe de saúde.

A hemoglobina glicada é um exame feito no laboratório e serve para avaliar como está o controle do diabetes nos últimos três meses. O ideal é que ela fique perto de 7%. Sempre separe suas medicações por horário, para facilitar seu controle e evitar esquecimentos.

4. Fique atento aos sinais de hipoglicemia.

Quando o açúcar no sangue cai abaixo de 70 mg/dL, o organismo lança mão de alguns sinais e sintomas para avisar que há alguma coisa errada, que podem ser tremor, sudorese fria, sensação de fome e batimentos cardíacos acelerados. Às vezes, a hipoglicemia pode ocorrer junto com a sensação de tontura, irritabilidade, sonolência, confusão mental e desmaios. Na presença de algum desses sintomas, procure fazer o exame da glicemia capilar, também conhecido como ponta de dedo ou dextro. Se a hipoglicemia for confirmada, tome meio copo de suco de laranja ou de refrigerante comum ou 1 colher de açúcar dissolvida em meio copo de água ou coma 3 balas de caramelo. Espere 10 minutos para que o açúcar seja absorvido e os sintomas melhorem.

5. Fique atento aos sinais de hiperglicemia.

Quando o valor da glicose no sangue aumenta muito, ou seja, atinge valores acima de 200 mg/dL, alguns sintomas podem aparecer, como sede intensa, volume urinário excessivo, sensação de fraqueza, tontura, mal-estar, respiração acelerada. Procure fazer o exame da glicemia capilar (ponta de dedo ou dextro) e, se a hiperglicemia for confirmada, siga as orientações de seu médico ou procure o serviço de saúde de emergência. Lembre-se de que, com o passar do tempo, o organismo se acostuma com os valores altos da glicemia e deixa de gerar sintomas, mas, mesmo sem sintomas, o açúcar alto no sangue causa dano nos vasos e nervos e trazem as tão temidas complicações do diabetes.

6. Cuide-se bem!

Siga as orientações da equipe de saúde que cuida de você. Tome suas medicações de forma correta e faça sempre exames para saber como está o controle de seu diabetes. Fique de olho em sua hemoglobina glicada!