Internet - São Camilo
  • Marcação de Consulta e Exames: (11) 3172-6800
Hospital São Camilo
Blog São Camilo

Ver mais

Doença de Parkinson

Autor: Comunicação Corporativa Categoria: Dicas de Saúde

A Doença de Parkinson é uma doença degenerativa do sistema nervoso central, que afeta principalmente as funções motoras do paciente. Sua ocorrência se dá em função da degeneração das células situadas em uma região do cérebro chamada "substância negra". Essas células produzem a substância dopamina, um neurotransmissor intimamente ligado ao controle motor.


Fique atento aos principais sintomas:

Tremores

Acontece quando a pessoa está parada, em repouso, e melhora ao fazer algum movimento. Acomete principalmente as mãos, mas também pode ocorrer no queixo, lábios, língua e pernas

Rigidez

A rigidez muscular muitas vezes começa pelas pernas e braços, dando uma sensação de endurecimento, impedindo atividades cotidianas como caminhar, subir escadas, abrir os braços e vestir-se. É comum o surgimento de dores musculares e cansaço físico. 

Lentidão

A agilidade para fazer movimentos rápidos e amplos fica comprometida, o que dificulta a realização de tarefas simples do dia a dia. O caminhar se torna arrastado, lento e com passos curtos, os braços diminuem o balançar, aumentando o risco de queda. 

Postura
Alterações da postura estão presentes nas fases mais avançadas e finais da doença. Nesta fase, observa-se postura encurvada, inclinação da cabeça, braços inclinados a frente do corpo, além de joelhos e cotovelos fletidos.  

Quais são os tratamentos indicados? 

A doença não tem cura, porém com os avanços da tecnologia no campo da medicina, hoje é possível, com tratamento, diminuir alguns dos principais sintomas. O Dr. Eduardo Urbano, neurocirurgião atuante na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, explica que este tratamento é feito através de medicamentos que procuram compensar a deficiência de dopamina. Em casos selecionados, com prejuízo da qualidade de vida do paciente, é possível otimizar o tratamento através de sistemas de estimulação cerebral profunda. Eles modulam áreas com atividades comprometidas pela doença e diminuem seus sintomas. Essa é uma técnica estabelecida e consagrada na medicina moderna. 

Como se prevenir da doença? 

Não existe um tratamento preventivo para a Doença de Parkinson. Entretanto, o controle da alimentação, atividades físicas regulares e outras atitudes saudáveis, ajudam na neuroproteção, diminuindo a progressão da doença e retardando, inclusive, o início dos sintomas.